O Guia de SEO Definitivo Para Sites e Blogs

O Guia de SEO Definitivo Para Sites e Blogs

SUMÁRIO

Introdução
O Que é e Para que Serve o SEO?
Busca Orgânica
Quem Não é Visto Não é Clicado
1. Estudo de Palavra-Chave
2 Estudo de Palavras-Chave Long Tails
3. URLs amigáveis
4. Títulos dos Artigos e Páginas Web
5. Meta Descrição (Description)
6. Heading Tags
7. Web Reading
8. Imagens e Vídeos
9. Linkagem Interna e Externa
10. Conteúdo
11. Tags
12. Call to Action
13. Categorias e Subcategorias
14. Frequência de Editoriais

O que é SEO?

SEO significa Search Engine Optimization, ou seja, Otimização para Mecanismos de Buscas. SEO são diversas técnicas de otimização de sites e blogs para aparecerem nos primeiros lugares nos mecanismos de buscas como Google.

Isso tudo, de forma orgânica (não paga), com tráfego de qualidade, pois atraem usuários genuinamente interessados nos produtos ou serviços que determinado site oferece.

O que é otimização?

Aprimoramento de um processo, de um sistema, com o objetivo de se obter o maior rendimento possível, em menor espaço de tempo (AULETE)

Para que serve o SEO?

O SEO serve para que sites e blogs sejam encontrados pelos seus usuários ideais, pela persona que busca exatamente o que o site ou blog fornece. Aumenta a visibilidade e torna a experiência dos usuários mais satisfatória ao encontrar de forma rápida o melhor conteúdo que procura.

O que é Guia de SEO?

São instruções sobre as técnicas de SEO mais utilizadas para otimizar sites e blogs. Muitos desses procedimentos tornam o acesso a sites mais rápidos e melhoraram a jornada do usuário na interação virtual.

Além de serem processos exigidos pelo Google para indicar os melhores sites e blogs ao usuário.

Com isso, possibilita um melhor posicionamento na primeira página de pesquisa dos buscadores e entre os primeiros colocados.

Exemplo de pesquisa nos buscadores: palavra-chave: champagne.

buscadores-seo-primeira-página-google
A pesquisa nos buscadores, a importância de estar bem posicionado

 

Busca Orgânica

Esses três primeiros sites que apontados na imagem, aparecem de acordo com a busca orgânica, ou seja, eles não foram pagos para estar ali. As técnicas de SEO bem aplicadas, os colocaram nos primeiros lugares.

Segundo a pesquisa Relevance: o primeiro colocado recebe (18,2%) de cliques, ou seja, tráfego, o segundo (10,1%) e o terceiro (7,2%), enquanto os outros menos de 2%.

Quem Não é Visto Não é Clicado!

Usando uma das máximas do marketing: “quem não é visto não lembrado”, o mesmo ocorre para o SEO: “quem não é visto não é clicado”.

Os buscadores são a vitrine que exibem o que há de melhor de acordo com a busca do cliente. Ele seleciona os sites e blogs com as melhores dicas, com alta velocidade de acesso, com as palavras-chave certas, com imagens otimizadas, com um design e estruturas de informações que tornam a experiência do cliente, marcante.

As técnicas de SEO ajustam, moldam e configuram sites, textos, blogs e aplicativos. Isso tudo, para estarem de acordo com as melhores e mais atuais estratégias, recursos e métodos de navegabilidade que torna a experiência do usuário em incrível e objetiva.

Como realizar um plano de ação de SEO para um site o blog?

Siga os passos do nosso guia de SEO para entender e aplicar essas técnicas tanta na construção de site, quanto aplicativos e blogs.

Guia de SEO — 14 Práticas para Aprender e Aplicar!

1. Estudo de Palavras-Chave

O estudo da palavra-chave é importante, pois mostra como os usuários estão encontrando o seu site no Google e outros buscadores.

Por isso, é tão importante usá-las para ser encontrado pelos usuários certos. É uma forma de ser encontrado pelo público que busca o que o site e blog tem para oferecer.

A pesquisa de palavras-chave pode ser feitas de algumas maneiras, por exemplo: usando ferramentas de busca do próprio Google, como o Keyword Planner dentro do Google Adwords. E outras ferramentas como o SEMrush.

Existem vários sites com o Ubersuggest, e o próprio Google Trends, para avaliar as tendências das palavras escolhidas e palavras complementares.

Algumas palavras-chave do seu negócio, podem ser identificadas no Google Analytics e Google Search Console, essas ferramentas mostram de maneira analítica como os usuários encontram seu site. Além disso, podem ser usadas na otimização das páginas.

Por exemplo: se o tema for “moda” faça a pesquisa:

resultado-buscador-moda
O resultado das palavras-chave servem como guia para otimização de páginas.

Observe que essas são algumas das palavras mais usadas pelos usuários quando buscam temas relacionados a moda, construa seu site, seu texto, artigos com o uso destas palavras.

Faça uma planilha com as palavras-chave de alta, médio e baixa concorrência e inclua nos títulos, nas chamadas, nos textos descritivos e nos artigos do blog.

2. Estudo de Palavras-Chave Long tails

Essas palavras-chave são denominadas long tails porque possuem de 3 a 4 palavras. Buscar a palavra-chave certa, não é aquela com o maior volume de buscas, nem a com menor dificuldade de rankeamento.

É aquela que está relacionada à persona, solucionará o problema dela e tem chances reais de rankeamento:

Long tails: Long tails são palavras-chave menos concorridas e, portanto, é mais fácil rankear para elas.

Veja um exemplo:

palavras-chaves-long-tails
Pesquisas de palavras-chave long tails, ajudam na performance da página.

As Palavras-Chave Long Tails são usadas em:
● Título;
● Linha fina;
● URL;
● Descrição;
● Conteúdo;
● Primeiras 100 palavras;
● Heading tags;
● Imagens;
● Links.

Explore esses dois estudos de palavras-chave na todo material do site e blog. Está é uma atividade que faz do guia de SEO e que propõem mais assertividade na construção de páginas web e artigos.

3. URLs amigáveis

Como as URLs são os endereços dos posts e páginas web que precisam ser amigáveis, ou seja, fáceis de ler e memorizar.

Inclusive na criação de um site, pense na URL da empresa, é preciso que seja fácil de escrever e lembrar e se for possível incluir o mercado que ela atua é um fator de relevância para Google.

Exemplo: https://www.rocha-moda-masculina.com.br

É importante também que as URLs sejam atemporais, o que permite a atualização de conteúdo sem necessidade de mudança de URL.

IMPORTANTE: uma URL nunca deve ser alterada, pois ela perde toda a autoridade já conquistada naquele post. (Caso precise alterar URLs, deve-se fazer o redirecionamento do conteúdo.)

Características:

● Deve conter a Palavra-Chave a ser trabalhada no conteúdo;
● Evitar URLs longas, com muitos subdomínios, hashtags (ou outros caracteres) e números. Simples e claro;
● Separar com hífen: rocha-moda-masculina;
● Nunca conter caracteres especiais e pontuações.

Um exemplo: Um post com o seguinte título:
“Construção de Site: Saiba como fazer. 7 Dicas!”.
A URL até poderá ter essa estrutura:

https://camelo.digital/2018/11/29/construcao-de-site-7-dicas

Se o caso for temporal, como, por exemplo: “5 dicas de User Experience para 2019″ A estrutura ficaria melhor  assim: ” /5-dicas-user-experience” sem citar o ano da tendência.

Dessa forma, esse conteúdo pode ser atualizado e repostado em 2019, mantendo a autoridade do post e atualizando o conteúdo.

É importante porque, além de poder atualizar o conteúdo sem medo, garante uma URL curta e sem números.

4. Títulos de Artigos e Páginas Web

Bons títulos influenciam diretamente na taxa de cliques (CTR), uma importante métrica para o Google rankear conteúdos. Com mais cliques, o conteúdo será mais acessado e isso é um dos fatores que influencia o SEO.

Como otimizar o Title:

● Usar a Palavra-Chave no início do título;
● Primeiras letras maiúsculas;
● Conter até de 70 caracteres;
● Ter um CTA (Call to Action) de leitura, por exemplo: Conheça, Leia, Veja etc.

Exemplo:
KW: Máquina de Cartão
Título: Máquina de Cartão: Veja Como Aumentar Suas Vendas Aceitando Outras Formas de Pagamentos.

5. Meta Description

A meta description é um dos fatores mais importante para que o site ou blog consiga receber visualizações. Para isso, ele precisa se destacar, a meta description é o anúncio do artigo publicado ou de uma página de produtos de um site.

Os buscadores exibem uma relação de pesquisas de acordo com a procura dos usuários. Aparecer na primeira página entre os primeiros, já é um avanço, o anúncio ou meta description precisa converter isso visualizações. Atrair o clique, esse o objetivo da meta description.

A meta description é composta por três elementos:

O título
A URL
A descrição

Veja o exemplo na imagem abaixo:

meta descreption google
A meta-description é super importante para converter em cliques

A descrição ou description, do post ou página do site, deve descrever o assunto abordado de uma maneira chamativa e encantadora. Isso também faz parte das técnicas do guia de SEO.

Como otimizar a Description:

● Usar a Palavra-Chave nos 50 primeiros caracteres;
● Conter até de 120 a 130 caracteres;
● Ter um CTA (Call to Action) de leitura, por exemplo: Conheça, Leia, Veja etc.
Exemplo:
KW: Máquina de Cartão
Description: Conheça nossas dicas de como uma Máquina de Cartão pode alavancar o faturamento do seu negócio vendendo mais e melhor. Confira!

6. Heading Tags

Na estrutura de um post ou página de um site, a hierarquia das heading tags é muito importante, pois boa parte da relevância que o Google dá ao conteúdo é devido à essa hierarquia.

É muito importante sinalizar o H1 de artigo (título) e de um site (produto). Essa técnica é uma das mais urgentes e necessárias do guia de SEO. Pois o H1 é o aquele que sinaliza do que se trata, a página do site ou artigo.
Regras de estruturação das Heading Tags:

● Somente UMA H1 por post ou página, nela deve conter a palavra-chave principal;
● As H2 devem ser subtítulos da H1, sendo complementares e contendo palavras-chave substitutas e complementares;
● Cada H2 deve ter textos relacionados à ela, nunca em forma de lista e sim com blocos de conteúdos entre elas;
● As H3 são subtítulos de uma H2, e devem estar dentro do bloco de conteúdo, mesmo que venha uma H2 depois (que estará relacionada a outro bloco de conteúdo)
● Respeitar sempre a hierarquia do conteúdo usando também a hierarquia de heading tags.

No WordPress elas são selecionadas assim:

titulos-h1-h2-como-usar

7. Web Reading

A leitura na web costuma ser feita pelos usuários de forma dinâmica e rápida, por isso, os parágrafos devem conter de 3 a 4 linhas e 20 palavras por frase.

Isso melhora a experiência do usuário na leitura, prende mais a atenção e transmite informações de forma clara. Os posts devem conter em média mais que 300 palavras, se possível até 500 palavras para sites e 1000 a 1500 para artigos em blogs.

Palavras em STRONG (negrito) não são um fator de rankeamento, mas auxiliam na leitura do texto. As palavras-chave, principalmente a no início do texto, colocadas em strong. Pois chamam, a atenção para o termo buscado por ele no motor de busca.

Sintaxe: <strong>Máquina de Cartão</strong>

8. Imagens e Vídeos

Tag-Alt-Tag-Title
                                                  Legenda: O tablet se tornou um dos grandes canais para compra online

Posts com multimídia costumam performar melhor. Além de dar uma melhor experiência ao usuário, é uma boa maneira de ilustrar o conteúdo.
Otimização de Imagens:

● Devem conter os atributos ALT e TITLE (colocados ao inserir a imagem no WordPress), e neles as palavras-chave principais, secundárias e complementares;

A tag ALT, apresenta uma descrição da imagem, ela diz ao Google do que se trata a imagem. Sendo assim descreve: o que é aquela imagem. A tag Title descreve a imagem e deve-se usar palavras-chave.

Exemplo: ALT: tablet-preto
TITLE: Tablet-preto-para-acesso-a-internet

● Nome da imagem com a palavra-chave e seguindo a formatação de URL (sem acentos ou pontuação, palavras separadas por hífen);
● Ilustrar o bloco de conteúdo;
● Posição Centralizada;
● Ter uma imagem destacada no Post (Sempre Otimizada).

B) Otimização de Vídeos:

● Os vídeos incorporados pelo iframe do Youtube devem ser sem sugestões de outros vídeos sugeridos no final; mostrar controle do player (que é pausa e play); não mostrar título do vídeo.
● Ter uma descrição simples abaixo do vídeo ou chamada antes (Exemplo: Veja a entrevista completa no vídeo abaixo.);
● Se possível vídeo COM LEGENDA.

9. Linkagem Interna e Externa

Um dos fatores da otimização mais importante!! A linkagem interna e externa feitas com os Anchor-text otimizados, ajudam na indexação, ranqueamento e experiência do usuário.

Devem sempre abrir em uma NOVA GUIA, para o usuário não sair do post. E sempre após o 3º ou 4º parágrafo, nunca na primeira linha ou primeiro parágrafo.

Anchor-Text:

O anchor text, ou texto âncora, é o responsável por ajudar os buscadores a identificar os termos que estão relacionados ao post. Como também posicionar melhor para as palavras-chave trabalhadas.

Existem três formas diferentes de trabalhar o texto âncora em um link:

● Conheça a Camelo Digital: Clique aqui;
● Conheça a Camelo Digital em https://camelo.digital/camelo/
● Conheça a Camelo Digital

A forma ideal é a palavra-chave no link, como no terceiro exemplo. Mas se não for possível no contexto, pode ser usadas palavras complementares e secundárias.

E sempre que possível também, usar long tails, por exemplo: Agência de Publicidade e Marketing Digital Camelo Digital

Para inserir um link, basta selecionar a palavra e apertar as teclas Ctrl + K, e inserir. Em seguida apertar enter ou o botão em azul.

A) Otimização Links Internos

Quando o conteúdo for sobre produtos ou serviços, sempre colocar um link para os mesmos, ou até mesmo para outros posts, que podem fazer sentido no contexto do conteúdo.

Esse link deve estar SEMPRE parametrizado com o Google Analytics, basta pedir para o responsável pelo GA, passar as informações sobre o post e o meio de veiculação. Portanto, siga a média de 2 a 4 links internos é o ideal.

B) Otimização Links Externos

Às vezes o conteúdo fala de dados de pesquisas ou algo no mesmo sentido, e para dar credibilidade, coloca-se um link para a pesquisa ou site de referência. Por isso, fique atento para onde o link direciona, se não há problemas com as páginas e sempre verificar se a página está no ar.

A ferramenta SEMRush mostra quando links colocados em conteúdos saíram do ar, links quebrados atrapalham a experiência do usuário e o motor de busca. Em média 1 ou 2 links externos por post é o ideal.

10. Conteúdo

Existem alguns cuidados com o conteúdo que precisam ser sempre revistos. Já que o conteúdo duplicado atrapalha muito o ranqueamento, no motor de busca, esse tema é muito válido para o guia de SEO, pois seu artigo pode ser penalizado.

Conteúdos sazonais, por exemplo, podem ser atualizados, ou invés de fazer outro post, podem seguir as diretrizes de URL (item 2 deste documento) para evitar problemas.

O conteúdo duplicado não é necessariamente igual por inteiro, mas quando são muito parecidos, o motor de busca tende a dar mais relevância ao que foi postado primeiro. Por isso, devemos sempre fazer um conteúdo único.

11. Tags

As tags servem como marcação do conteúdo do post para o motor de busca e para o blog na hora de agrupar conteúdos do mesmo assunto ou nicho. Por isso, devem conter de 8 a 12 tags.

Elas podem ser definidas na hora da pauta ou elaboração do conteúdo, sempre ter as palavras-chave principal, secundária, complementar.
São inseridas aqui:
Canto direito do editor de post.

tags-marcação-de-conteudo

 

12. Call to Action

No final dos posts, se estiver no contexto, sempre colocar uma linha ou um breve parágrafo, com call to action de venda de produto ou serviço. Dessa forma, insira um link para o site ou para a loja, sempre no contexto, para não parecer uma propaganda ou chamada de campanha.

13. Categorias e Subcategorias

Os posts precisam estar dispostos nas categorias e subcategorias de cada editorial, um post pode pertencer a mais de uma categoria ou subcategoria, mas não muitas, sempre mantendo o contexto.

14. Frequência de Editoriais

Séries de editoriais tendem a performar melhor, por isso, os usuários acabam virando leitores assíduos e consequentemente com mais chances de conversões. Definido quais dias da semana e com qual frequência serão postados, os posts com o conteúdo já aprovados e revisados podem ser programados.

Este foi o guia de SEO, uma forma de verificar se o seu conteúdo está de acordo com as técnicas mais atuais e importantes para ranqueamento nos buscadores.

Editores:

Bruna Figueiredo                                                                                                                                                 Redatora do Guia de SEO –  Profissional de Marketing e SEO, indicada ao Top 50 profissionais de SEO do Brasil pelo Gama Academy.

Davi Defensor                                                                                                                                                         Revisão de Conteúdo – Especialista em produção de artigos e UX Writing

Rafael Beraldi                                                                                                                                                             Revisão Técnica  e Head de Projetos e Design Thinker

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Seu comentário:

Seu nome: